domingo, maio 25, 2008

Atrás da desconcertante coluna...


À terceira vez comecei a desconfiar. Nesse mítico local de intensa aura de magia e mistério que é o parque de estacionamento do Colombo. Vou sempre para a mesma zona e comecei a achar estranho pela estranha coincidência. Atrás de uma coluna cor de laranja estava uma senhora preta. Já de grisalhos, parecia esconder-se mas espreitava com argúcia e pitadas de assombro. Inclinava-se também para um sorriso que inspecciona e vai procurando o olhar que entretanto se perdeu.
No terceiro dia não resisti. Saí do carro e fui até ela. Rodei três vezes em volta da coluna, enquanto me fugia rodopiando, com uma encharpe vermelha de rasto perfumado. Por lógica parei e abri os braços para amparar o seu encontro. Ela chocou com o meu peito num sorrisinho de quem tinha sido amparada.
- Quem és tu?
- Sou uma preta que se esconde atrás das colunas.
- Mas ficas aqui só por mim?
- Hoje sim. Não há mais alguém.
Agastei-me um pouco e reconheci um curvar de deferência que não pedi.
- Não esperes mais por mim, mulher.
- Desculpa, mas aqui vou ficar, até precisares.